segunda-feira, 17 de abril de 2017

ESCOLA ESTADUAL ROMALINO ALVES DE ALBRES PROFESSORA: IARA PEREIRA DE CARVALHO ALUNO(A)_______________________________ 4º A AVALIAÇÃO BIMESTRAL DE LÍNGUA PORTUGUESA Como nasceu o Rio Amazonas A Lua apaixonou-se pelo Sol. E, apaixonada como estava, queria se casar com ele. Mas, se o casamento acontecesse, o Sol aqueceria tanto, tanto, que queimaria todas as coisas existentes, o mundo seria destruído e as lágrimas da Lua inundariam a Terra. Assim, eles não puderam se casar, e cada um foi para um lado. A Lua, muito triste, chorou um dia inteiro, e suas lágrimas correram pela terra, buscando o mar. Só que o mar não recebeu as lágrimas da Lua, e elas tiveram de voltar. Mas não conseguiram voltar para as montanhas donde tinham descido. Então elas desceram mais uma vez e foram se unindo numa imensa correnteza d’água, formando assim o caudaloso Rio Amazonas, todo enfeitado de vitórias-régias. PIAI, A. & Paccini, M. J. Viajando pelo folclore de Norte a Sul. São Paulo: Cortez, 2004. 1) O título do texto – Como nasceu o Rio Amazonas – revela ao leitor que se trata de um texto que aborda: (A) o amor entre a Lua e o Sol. (B) a destruição do mundo pelo calor do Sol. (C) as lágrimas e o choro da Lua. (D) o surgimento do Rio Amazonas. 2)- No trecho: “Mas não conseguiram voltar para as montanhas donde tinham descido”, a expressão em destaque significa: (A) do lugar de que tinham saído. (B) da forma que decidiram correr. (C) da tristeza que caracteriza a Lua. (D) do tempo em que queriam voltar. 3) Pai e mãe dividem responsabilidades com guarda compartilhada Pai para um lado, mãe para o outro, e o filho, como fica? Em geral, quando os pais se separam, a criança fica com a mãe e só vê o pai de 15 em 15 dias. Mas não precisa ser assim. Uma lei, que passou a valer recentemente, mostra uma outra forma de lidar com filhos de pais separados que alguns ex-casais já usam: a responsabilidade sobre o filho não tem que ser só da mãe. O nome é complicado, “guarda compartilhada”, mas é fácil de entender: é que o pai também pode estar mais pertinho do dia a dia do filho, em vez de só levá-lo para passear e brincar no fim de semana. Os irmãos Vinícius Mendonça Costa, 9, e Otávio, 6, passam parte da semana na casa da mãe, Ana Tereza Toni, e a outra parte, na casa do pai, Gilberto Costa. Quando é dia de estar com a mãe, surpresa! Quem vai buscar as crianças na escola é o pai, e vice-versa. Assim, diz Ana, “nos vemos todos os dias”. Vinícius gosta do esquema: “É bom ter duas casas, a gente tem tudo em dobro e mais amigos diferentes”. E se fosse para ver o pai só às vezes? “Eu iria ficar com saudade, querer saber como ele está. E ele também.”Mas Otávio prefere a casa da mãe. “Ele pergunta sempre se é dia de ir à casa dela”, entrega o irmão. Os pais de Amanda Marciano Rodrigues Paulino, 10, também são separados, mas ela não fica mudando de casa. Ela mora com a mãe em Goiânia (GO) e o pai dela vive em São Paulo. Mas, graças ao “kit” MSN, Skype e telefone, eles se falam todos os dias. “Meu pai não pode vir para cá direto, mas, assim, me ajuda nas lições, tira as minhas dúvidas. E divido as coisas da minha vida com os dois, porque eu não amo só um deles”, conta. LAGO, Paula. Pai e mãe dividem... Folha de S. Paulo, São Paulo, 9 ago. 2008. Folhinha. Fragmento. 4) No trecho “Quando é dia de estar com a mãe, surpresa! Quem vai buscar as crianças na escola é o pai, e vice-versa”, a expressão destacada significa que: (A) a mãe busca as crianças todos os dias na escola. (B) no dia de estar com o pai, a mãe busca as crianças na escola. (C) no dia de estar com o pai, o pai busca as crianças na escola. (D) o pai busca as crianças todos os dias na escola. 5) . De acordo com o trecho “graças ao ‘kit’ MSN, Skype e telefone, eles se falam todos os dias”, ficamos sabendo que pai e filha se falam: (A) pessoalmente e por computador todos os dias. (B) pessoalmente e por computador de vez em quadrinhos porque: (A) combina imagens e palavras para contar uma história. (B) emprega palavras pouco usad



ESCOLA ESTADUAL ROMALINO ALVES DE ALBRES
PROFESSORA: IARA PEREIRA DE CARVALHO
ALUNO(A)_______________________________ 4º A
AVALIAÇÃO BIMESTRAL DE LÍNGUA PORTUGUESA


Como nasceu o Rio Amazonas
  A Lua apaixonou-se pelo Sol. E, apaixonada como estava, queria se casar
com ele. Mas, se o casamento acontecesse, o Sol aqueceria tanto, tanto, que
queimaria todas as coisas existentes, o mundo seria destruído e as lágrimas da
Lua inundariam a Terra.  Assim, eles não puderam se casar, e cada um foi para um lado.
A Lua, muito triste, chorou um dia inteiro, e suas lágrimas correram pela terra,
buscando o mar. Só que o mar não recebeu as lágrimas da Lua, e elas
tiveram de voltar. Mas não conseguiram voltar para as montanhas donde
tinham descido.
  Então elas desceram mais uma vez e foram se unindo numa imensa correnteza
d’água, formando assim o caudaloso Rio Amazonas, todo enfeitado de
vitórias-régias.
PIAI, A. & Paccini, M. J. Viajando pelo folclore de Norte a Sul. São Paulo: Cortez, 2004.

1) O título do texto – Como nasceu o Rio Amazonas – revela ao leitor que se trata de um texto que aborda:
(A) o amor entre a Lua e o Sol.
(B) a destruição do mundo pelo calor do Sol.
(C) as lágrimas e o choro da Lua.
(D) o surgimento do Rio Amazonas.
2)- No trecho: “Mas não conseguiram voltar para as montanhas donde tinham descido”, a expressão em destaque significa:
(A) do lugar de que tinham saído.
(B) da forma que decidiram correr.
(C) da tristeza que caracteriza a Lua.
(D) do tempo em que queriam voltar.
3) Pai e mãe dividem responsabilidades
com guarda compartilhada
  Pai para um lado, mãe para o outro, e o filho, como fica? Em geral, quando os pais se separam, a criança fica com a mãe e só vê o pai de 15 em 15 dias. Mas não precisa ser assim.
Uma lei, que passou a valer recentemente, mostra uma outra forma de lidar com filhos de pais separados que alguns ex-casais já usam: a responsabilidade sobre o filho não tem que ser só da mãe.
O nome é complicado, “guarda compartilhada”, mas é fácil de entender: é que o pai também pode estar mais pertinho do dia a dia do filho, em vez de só levá-lo para passear e brincar no fim de semana.
Os irmãos Vinícius Mendonça Costa, 9, e Otávio, 6, passam parte da semana na casa da mãe, Ana Tereza Toni, e a outra parte, na casa do pai, Gilberto Costa. Quando é dia de estar com a mãe, surpresa! Quem vai buscar as crianças na escola é o pai, e vice-versa. Assim, diz Ana,
“nos vemos todos os dias”.
Vinícius gosta do esquema: “É bom ter duas casas, a gente tem tudo em dobro e mais amigos diferentes”. E se fosse para ver o pai só às vezes? “Eu iria ficar com saudade, querer saber como ele está. E ele também.”Mas Otávio prefere a casa da mãe. “Ele pergunta sempre se é dia de ir à casa dela”, entrega o irmão.
Os pais de Amanda Marciano Rodrigues Paulino, 10, também são separados, mas ela não fica mudando de casa. Ela mora com a mãe em Goiânia (GO) e o pai dela vive em São Paulo.
Mas, graças ao “kit” MSN, Skype e telefone, eles se falam todos os dias. “Meu pai não pode vir para cá direto, mas, assim, me ajuda nas lições, tira as minhas dúvidas. E divido as coisas da minha vida com os dois, porque eu não amo só um deles”, conta.
LAGO, Paula. Pai e mãe dividem... Folha de S. Paulo,
São Paulo, 9 ago. 2008. Folhinha. Fragmento.
4) No trecho “Quando é dia de estar com a mãe, surpresa! Quem vai buscar as crianças na escola é o pai, e vice-versa”, a expressão destacada significa que:
(A) a mãe busca as crianças todos os dias na escola.
(B) no dia de estar com o pai, a mãe busca as crianças na escola.
(C) no dia de estar com o pai, o pai busca as crianças na escola.
(D) o pai busca as crianças todos os dias na escola.

5) . De acordo com o trecho “graças ao ‘kit’ MSN, Skype e telefone, eles se falam todos os dias”, ficamos sabendo que pai e filha se falam:
(A) pessoalmente e por computador todos os dias.
(B) pessoalmente e por computador de vez em quando.
(C) por computador de vez em quando.
(D) por computador todos os dias.







6) Leia a história em quadrinhos a seguir e responda:

CHEC! CHEC! e CHOC! CHOC! representam:

(A) a fala de outros personagens.
(B) a primeira parte desta história.
(C) o barulho do papel amassando.
(D) o final da resposta do avô.
7) Este texto é uma história em quadrinhos porque:

(A) combina imagens e palavras para contar uma história.
(B) emprega palavras pouco usadas e difíceis de entender.
(C) faz uma descrição bem detalhada de um jogo de futebol
(D) repete muitas vezes as informações já conhecidas.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

jogo da forca



Tente
adivinhar palavras relacionadas com a Matemática no Jogo
da Forca
:




Clique aqui

sábado, 25 de junho de 2016

Avaliação de língua portuguesa para 4º ano fundamental



AVALIAÇÃO BIMESTRAL DE LÍNGUA PORTUGUESA


Como nasceu o Rio Amazonas
  A Lua apaixonou-se pelo Sol. E, apaixonada como estava, queria se casar
com ele. Mas, se o casamento acontecesse, o Sol aqueceria tanto, tanto, que
queimaria todas as coisas existentes, o mundo seria destruído e as lágrimas da
Lua inundariam a Terra.  Assim, eles não puderam se casar, e cada um foi para um lado.
A Lua, muito triste, chorou um dia inteiro, e suas lágrimas correram pela terra,
buscando o mar. Só que o mar não recebeu as lágrimas da Lua, e elas
tiveram de voltar. Mas não conseguiram voltar para as montanhas donde
tinham descido.
  Então elas desceram mais uma vez e foram se unindo numa imensa correnteza
d’água, formando assim o caudaloso Rio Amazonas, todo enfeitado de
vitórias-régias.
PIAI, A. & Paccini, M. J. Viajando pelo folclore de Norte a Sul. São Paulo: Cortez, 2004.

1) O título do texto – Como nasceu o Rio Amazonas – revela ao leitor que se trata de um texto que aborda:
(A) o amor entre a Lua e o Sol.
(B) a destruição do mundo pelo calor do Sol.
(C) as lágrimas e o choro da Lua.
(D) o surgimento do Rio Amazonas.
2)- No trecho: “Mas não conseguiram voltar para as montanhas donde tinham descido”, a expressão em destaque significa:
(A) do lugar de que tinham saído.
(B) da forma que decidiram correr.
(C) da tristeza que caracteriza a Lua.
(D) do tempo em que queriam voltar.
3) Pai e mãe dividem responsabilidades
com guarda compartilhada
  Pai para um lado, mãe para o outro, e o filho, como fica? Em geral, quando os pais se separam, a criança fica com a mãe e só vê o pai de 15 em 15 dias. Mas não precisa ser assim.
Uma lei, que passou a valer recentemente, mostra uma outra forma de lidar com filhos de pais separados que alguns ex-casais já usam: a responsabilidade sobre o filho não tem que ser só da mãe.
O nome é complicado, “guarda compartilhada”, mas é fácil de entender: é que o pai também pode estar mais pertinho do dia a dia do filho, em vez de só levá-lo para passear e brincar no fim de semana.
Os irmãos Vinícius Mendonça Costa, 9, e Otávio, 6, passam parte da semana na casa da mãe, Ana Tereza Toni, e a outra parte, na casa do pai, Gilberto Costa. Quando é dia de estar com a mãe, surpresa! Quem vai buscar as crianças na escola é o pai, e vice-versa. Assim, diz Ana,
“nos vemos todos os dias”.
Vinícius gosta do esquema: “É bom ter duas casas, a gente tem tudo em dobro e mais amigos diferentes”. E se fosse para ver o pai só às vezes? “Eu iria ficar com saudade, querer saber como ele está. E ele também.”Mas Otávio prefere a casa da mãe. “Ele pergunta sempre se é dia de ir à casa dela”, entrega o irmão.
Os pais de Amanda Marciano Rodrigues Paulino, 10, também são separados, mas ela não fica mudando de casa. Ela mora com a mãe em Goiânia (GO) e o pai dela vive em São Paulo.
Mas, graças ao “kit” MSN, Skype e telefone, eles se falam todos os dias. “Meu pai não pode vir para cá direto, mas, assim, me ajuda nas lições, tira as minhas dúvidas. E divido as coisas da minha vida com os dois, porque eu não amo só um deles”, conta.
LAGO, Paula. Pai e mãe dividem... Folha de S. Paulo,
São Paulo, 9 ago. 2008. Folhinha. Fragmento.
4) No trecho “Quando é dia de estar com a mãe, surpresa! Quem vai buscar as crianças na escola é o pai, e vice-versa”, a expressão destacada significa que:
(A) a mãe busca as crianças todos os dias na escola.
(B) no dia de estar com o pai, a mãe busca as crianças na escola.
(C) no dia de estar com o pai, o pai busca as crianças na escola.
(D) o pai busca as crianças todos os dias na escola.

5) . De acordo com o trecho “graças ao ‘kit’ MSN, Skype e telefone, eles se falam todos os dias”, ficamos sabendo que pai e filha se falam:
(A) pessoalmente e por computador todos os dias.
(B) pessoalmente e por computador de vez em quando.
(C) por computador de vez em quando.
(D) por computador todos os dias.







6) Leia a história em quadrinhos a seguir e responda:

CHEC! CHEC! e CHOC! CHOC! representam:

(A) a fala de outros personagens.
(B) a primeira parte desta história.
(C) o barulho do papel amassando.
(D) o final da resposta do avô.
7) Este texto é uma história em quadrinhos porque:

(A) combina imagens e palavras para contar uma história.
(B) emprega palavras pouco usadas e difíceis de entender.
(C) faz uma descrição bem detalhada de um jogo de futebol
(D) repete muitas vezes as informações já conhecidas.

Como trabalhar a leitura e a escrita por meio da valorização da cultura popular



Como trabalhar a leitura e a escrita por meio da valorização da cultura popular resgatando sicas e poesias antigas? (UCA)



O que o aluno poderá aprender com esta aula
·         Descobrir o prazer pela leitura.
·         Reconhecer a importância do conhecimento acumulado.
·         Valorizar a cultura popular.
·         Ler com compreensão.
·         Ler com entonação e fluência.
·         Interpretar as músicas cantadas.
·         Interpretar as poesias recitadas.
·         Representar por meio de desenhos as músicas cantadas ou poemas recitados.
·         Analisar com criticidade a situação do idoso no país.
Duração das atividades
Aproximadamente 240 minutos –4 atividades de sessenta (60) minutos cada uma.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Professor, é necessário que o aluno esteja inserido  no processo de alfabetização, que reconheça palavras e seja  capaz de expor seu pensamento.   Além disso, é importante, que consigam ler e escrever pequenos textos e tenham conhecimentos referentes a alguns recursos e programas dos laptops do programa UCA, osClassmates, como: o WxCam e o KWord.
Estratégias e recursos da aula
1° MOMENTO: APROXIMADAMENTE UMA AULA DE 60 MIN
INTRODUZINDO O TEMA

Professor, para resgatar a cultura popular com os alunos, mesmo que seja por músicas e poesias, bem como o trabalho com os demais temas abordados nos anos iniciais do Ensino Fundamental, precisa ser contextualizado.
Tal contextualização deve vir de algo que está próximo ao aluno, para depois ampliarmos as possibilidades.
Por isso, propomos que este resgate da cultura popular aconteça a partir da vivência de nossos avós, do que eles têm para contar. Mesmo porque, os avós saberão também as particularidades daquela região, como suas músicas e poesias.
Assim, para promover o interesse dos alunos, primeiramente, leia com eles a poesia abaixo, substituindo as palavras que estão em vermelho pelas que estão em verde, ou como no caso do título, não dizendo.
Vou pra casa da vovó

CHEGA DE TANTA INJUSTIÇA
DE CASTIGO E CONFUSÃO!
VOU PRA CASA DA VOVÓ(DELA)
NÃO TEM OUTRA SOLUÇÃO!

ESTOU MESMO DECIDIDO
E PRA SEMPRE EU ME MUDO.
AQUI EU NÃO POSSO NADA
E POR LÁ EU POSSO TUDO!


POSSO COMER CHOCOLATE,
POSSO ATÉ ME EMPANTURRAR.
POSSO COMER SOBREMESA
ATÉ ANTES DO JANTAR.
 
MESMO QUE EU FAÇA BAGUNÇA,
VOVÓ NÃO BRIGA COMIGO. (ELA)
SE EU BELISCAR O IRMÃOZINHO,
VOVÓ NÃO ME PÕE DE CASTIGO! (ELA)


VOU FAZER A MINHA MALA,
MEU CARRINHO EU VOU LEVAR.
VOU LEVAR O MEU CACHORRO
E O MEU JOGO DE ARMAR.
 

VOU LEVAR MEU TRAVESSEIRO,
LEVO TAMBÉM MEU PIÃO,
PEGO OS MEUS LIVROS DE HISTÓRIA
E O MEU TIME DE BOTÃO.
 

LEVO AS COISAS QUE EU GOSTO,
PRA TER TUDO SEMPRE A MÃO:
LEVO TAMBÉM O PAPAI,
A MAMÃE E O MEU IRMÃO!
ANA CANÉO
Depois questione:
-Quem é “ela”?
- As suas avós se parecem com esta avó do poema?
- E seus avôs, como são?
- Quem se lembra de alguma coisa legal que o seu avô ou a sua avó ensinaram para você?
Depois, distribua cópias do poema para os alunos e solicite que realizem a interpretação do texto.
ATIVIDADE:
BASEANDO- SE NO POEMA DE ANA CANÉO, VOU PRA CASA DA VOVÓ, RESPONDA:
O QUE A VOVÓ DEIXA COMER, QUE O PAPAI E A MAMÃE NÃO DEIXAM?
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
E O QUE A VOVÓ NÃO FAZ, MAS O PAPAI E A MAMÃE FAZEM?

_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________

MAS SE ESSA CRIANÇA MUDASSE PARA A CASA DE SUA AVÓ, O QUE ELA LEVARIA?
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________

VOCÊ MUDARIA PARA A CASA DE SUA AVÓ? POR QUÊ?
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________
_________________________________________________



2° MOMENTO: APROXIMADAMENTE UMA AULA DE 60 MIN
REFLETINDO SOBRE A REALIDADE DE ALGUNS IDOSOS

A realidade de alguns idosos nem sempre é a de avós queridos e que têm netos querendo mudar para suas casas. Alguns idosos são abandonados ou até sofrem maus tratos.
Pensando nisso, a proposta do segundo momento é propor uma reflexão crítica sobre a situação de muitos idosos, comparando-a com a de seus avós e propondo mudanças, mesmo que estes não sejam idosos ainda.
Para isso, a sugestão é começar pelo poema “ A Língua do Nhem”, de Cecília Meireles.
 
A LÍNGUA DO NHEM
(CECÍLIA MEIRELES)


HAVIA UMA VELHINHA
QUE ANDAVA ABORRECIDA
POIS DAVA A SUA VIDA
PARA FALAR COM ALGUÉM.
E ESTAVA SEMPRE EM CASA
A BOA VELHINHA
RESMUNGANDO SOZINHA:
NHEM-NHEM-NHEM-NHEM-NHEM-NHEM...
O GATO QUE DORMIA
NO CANTO DA COZINHA
ESCUTANDO A VELHINHA,
PRINCIPIOU TAMBÉM
A MIAR NESSA LÍNGUA
E SE ELA RESMUNGAVA,
O GATINHO A ACOMPANHAVA:
NHEM-NHEM-NHEM-NHEM-NHEM-NHEM...
DEPOIS VEIO O CACHORRO
DA CASA DA VIZINHA,
PATO, CABRA E GALINHA
DE CÁ, DE LÁ, DE ALÉM,
E TODOS APRENDERAM
A FALAR NOITE E DIA
NAQUELA MELODIA
NHEM-NHEM-NHEM-NHEM-NHEM-NHEM...
DE MODO QUE A VELHINHA
QUE MUITO PADECIA
POR NÃO TER COMPANHIA
NEM FALAR COM NINGUÉM,
FICOU TODA CONTENTE,
POIS MAL A BOCA ABRIA
TUDO LHE RESPONDIA:
NHEM-NHEM-NHEM-NHEM-NHEM-NHEM...

Depois, diga a eles que, assim como as crianças possuem o Estatuto da criança e do adolescente, o ECA, para os protegerem, os idosos possuem o Estatuto do Idoso.
A Lei no 10.741, de 1º de outubro de 2003, é destinada a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos.
Logo após, solicite que respondam oralmente:
- O que vocês acham dos idosos possuírem uma lei específica para eles?
- Vocês acreditam que isto seja necessário?
- Você já viu algum idoso ser maltratado?
- Se você visse o que poderia fazer para ajudá-lo?




welcome

Olá! Seja bem-vindo (a)!Compartilhe comigo tudo o que há de bom sobre Educação e deixe seu comentário, ele me será mui útil.

Seguidores

festa folclórica Romalino 2010

festa folclórica Romalino 2010

Produção de textos

Produção de textos
biblioteca-Romalino

Teatro 1º ano 2009

Teatro 1º ano 2009

Projeto de leitura "sítio...""

Projeto de leitura "sítio...""

Arquivo do blog

Amo alfabetizar!!

Amo alfabetizar!!
1º ano-2010

Postagens populares

Projeto "Além das palavras"

Projeto "Além das palavras"
Aprender brincando
Ocorreu um erro neste gadget
Loading...

Pantanal MS

Pantanal MS
Aquidauana ms